Blog

As cortinas tem papel essencial na decoração de um ambiente, mas, além disso, possuem aspecto funcional, podendo esconder janelas inativas e paredes, separando espaços, bloqueando parcial ou totalmente a luminosidade, e influenciando, portanto no conforto visual, acústico e às vezes até térmico dos ambientes.

Como no mercado existem diferentes opções de cores, texturas, modelos, tecidos e tamanhos, é preciso tomar certo cuidado ao eleger a cortina ideal.

A escolha deve ser influenciada pelo estilo do espaço e pelas necessidades do proprietário, como por exemplo: controlar a entrada de luz no ambiente, bloquear totalmente a luz, privacidade, dar vida ao ambiente, todos esses objetivos podem ser alcançados com a cortina certa.

Pensando nisso, preparamos algumas dicas perfeitas para você não errar na hora de comprar sua cortina.

Confira!

O tamanho ideal

O comprimento longo, do teto ao piso, é o mais utilizado em salas de estar e de jantar e nos quartos, pois fica elegante e parece ampliar o ambiente. O tamanho exato, no entanto, é uma questão de gosto. Há quem defenda uma medida bem rente ao chão e outros que preferem que o tecido arraste um pouco.

Em cozinhas, banheiros e escritórios, ou quando houver um móvel abaixo da janela, vale usar um tamanho mais curto. Nesses casos, a cortina ou persiana deve terminar rente à próxima peça ou com pelo menos 30 cm a mais na altura.

Ainda em relação à altura, é importante lembrar-se da barra. Para valorizar o tecido, opte por dobras de pelo menos 15 cm. Sobre isso é importante ter uma bainha sobressalente, pois com a lavagem às vezes a cortina pode encolher e com a bainha podemos ajustar isso com o passar do tempo.  Anote mais uma medida importante: o tamanho do tecido, normalmente fica 2x a 3x o espaço da janela ou porta, para evitar o vazamento de luz e garantir o caimento generoso do tecido.

 

Qual tecido usar?

A escolha do tecido está diretamente ligada aos gostos pessoais e à função que a cortina vai exercer no ambiente. Cômodos como salas de TV e quartos demandam cortinas mais espessas, que bloqueiem completamente a entrada de luz. Já os espaços como corredor, sala de estar e hall requerem cortinas mais leves, que permitam a entrada da claridade. Os tecidos pesados mais recomendados são as sarjas, crepes e veludo. Quanto aos tecidos leves, microfibra, cambraia, renda, linho, seda e palha.

Qual cor usar?

A principal regra na escolha das cores é não se distanciar do conceito da decoração. O tom deve dialogar com o restante da decoração. Além disso, é preciso que exista harmonia entre as cores,  de modo que a cortina não seja conflitante com as paredes e o mobiliário do ambiente. É importante salientar que a tonalidade da cortina deve ser analisada com bastante critério. Se o cômodo já é cheio de detalhes e adornos, evite cores chamativas. Em espaços mais claros e com poucos móveis, uma cortina colorida com textura inusitada pode fazer toda diferença.

Alguns modelos de cortina

  • Blecaute:Essa cortina é forrada com tecido de poliéster mais espesso e tem a função de impedir a entrada de luz.
  • Persiana de Alumínio: As persianas de alumínio bloqueiam efetivamente os raios solares, porém em função da fragilidade do seu material exigem cuidado na limpeza e manuseio.
  • Persiana de PVC:PVC é um tipo de plástico rígido e resistente, portanto, as persianas feitas com esse material apresentam maior durabilidade, sendo indicadas para ambientes como cozinhas, sujeitas a calor e gordura, e banheiros, sujeitos a umidade.
  • Cortina Romana:Essa cortina é formada por tirar horizontais e espessas que sobem em camadas, uma a uma. É pratica e fácil de limpar, além de oferecer uma aparência aconchegante ao ambiente.
  • Cortina Árabe: As cortinas com harmonização oriental fazem uso da sobreposição de tecidos e da combinação de cores e são compostas geralmente por três camadas: o forro, o revestimento e um bandô, trazendo ainda mais ornamentação à peça.
  • Cortina de Tecido: As cortinas de tecido são as mais clássicas e tradicionais. São inúmeras as opções de tecido, os mais comuns são voil, seda e linho. Normalmente, as cortinas de tecido são penduras em varões, e por isso, são fáceis de tirar e lavar.

Truques para a escolha da cortina perfeita

  • Bastante atenção na hora de medir o local onde a cortina será usada;
  • Utilize o gesso para esconder o trilho e dar um melhor acabamento;
  • Verifique se a janela tem muita incidência de luz, pois isso ajuda na escolha do tecido;
  • Persianas motorizadas são perfeitas nas decorações de estilo clean ou futurista;
  • Cores neutras são atemporais e clássicas, enquanto cores vibrantes são irreverentes. Escolha o que mais faz o seu estilo!
  • Evite usar cortinas em banheiros de uso frequente, pois a umidade pode trazer mofo;
  • Cortinas pequenas não combinam com todos os ambientes.

Gostou das dicas? Compartilhe 😉

 

 

Comentários